Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais

VOXMUNDI       DEBATES       ENTRE NÓS             PODCASTS           PALKO
AS VOZES    
MEDAGLIA       SARDÁ       SOIZA       FOSSARI       PUGLIESE       MOURA       EMÍLIO       ARTHUR       SEVERO      ENTREVISTAS      

INÍCIO         CONTATO          QUEM SOMOS          AS MÚSICAS DA RWB          CALEIDOSCÓPIO       ATELIÊ

PALKO

  TODA SEXTA, 10 da noite, aqui e no Canal

 

Dia 05 de junho de 2020. (Covidado desta edição: Márcio Mário da Paixão Júnior, quadrinista, produtor cultural)

TEMA: "Os quadrinhos, a produção cultural, a internet, diante desse governo, dessa pandemia... ou mais ou menos isso...""

"É quase bonito o quanto esse governo odeia os artistas e o povo… (...) Os super heróis são fascistas (…) O Batman é um rico que sai a noite pra bater em pobre (...) Eu sou um cara anacrônico, eu sou um cara que não queria que existisse internet (...) Ela deu voz a uma legião de imbecis, é uma coisa meio idiota, mas é assim… (...) Se não houvesse rede esse cara não tinha sido eleito… e isso reverbera entre outros ignorantes…, isso é muito dramático (…) na sociedade existe mais gente legal do que escroto...” (Márcio Júnior

Algumas frases feitas, neste PALKO, por Márcio Júnior, nas suas diversas análises sobre o chargismo os "quadrinhos" dos jornais, o que rola na internet, a produção cultural, antes, durante e depois da pandemia e a conjuntura brasileira, entre outras coisas, mais ou menos sórdidas... Márcio, sem dúvida, mostra talento, criatividade, firmes críticas e boas avaliações sobre tudo que o programa conseguiu pautar nesta edição. Boas, instigantes e inteligentes frases brotam ao natural desse inquieto artista. Assista tudo >

OUÇA:

Saiba mais do convidado

 

Márcio Mário da Paixão Júnior: é quadrinista e produtor cultural. Nasceu em Goiânia, em 1972. É Mestre em Comunicação pela UnB e doutorando em Arte e Cultura Visual pela UFG, foi sócio-fundador da Monstro Discos, MMarte Produções e Escola Goiana de Desenho Animado. Criou o Goiânia Noise Festival e a CRASH – Mostra Internacional de Cinema Fantástico. Dirigiu, ao lado de Márcia Deretti, a animação O Ogro, baseada em HQ homônima da lenda dos quadrinhos brasileiros Julio Shimamoto. Editou as revistas Into, Voodoo! e Macaco. É autor da HQ A vida é Mesmo uma Maravilha, em fase de adaptação para um curta em desenho animado. Lançou, em 2015, o livro COMICZZZT!: Rock e Quadrinhos - Possibilidades de Interface. Em 2017, criou e realizou duas edições do GIBIRAMA – Feira Goiana de Histórias em Quadrinhos. É também vocalista da banda Mechanics – que, ao lado do quadrinista Fabio Zimbres, realizou o projeto do disco/HQ Música para Antropomorfos (editado no Brasil, Colômbia e Portugal), que deu origem à animação O Evangelho segundo Tauba e Primal (2018), da qual é co-diretor. Criou, em 2017, a MMarte editora, especializada em quadrinhos, literatura e cinema.  É roteirista da graphic novel Cidade de Sangue, publicada em 2018 e desenhada por Shima com maçarico e ferro de solda. Ainda ao lado de Shimamoto, acaba de editar a antologia O Ditador Frankenstein e Outras Histórias de Terror, Tortura e Milicos. Recentemente lançou Com a Palavra, coletânea de ilustrações políticas.

::.

 

Dia 29 de maio de 2020. (Covidado desta edição: Robson Pereira, psicanalista)

TEMA: "A PANDEMIA SOB O OLHAR DA PSICANÁLISE"

"O Brasil tem uma condição histórica que pesa sobre nós (…) É uma história interessante de família (…) uma caricatura (…) O que foi a vinda da família real em 1808 pra cá? Era mais ou menos como se os pais viessem morar na casa dos filhos (…) Ainda bem que temos alguns irmãos mais velhos pra segurar…” (Robson Pereira) 

Frase trazida, neste PALKO, por Robson Pereira, numa de suas análises sobre as convivências experimentadas por nós, aqui no Brasil, nesta pandemia. Assista todo >

OUÇA:

 Saiba mais do convidado

- Robson de Freitas Pereira: é psicanalista, membro da Associação Psicanalitica de Porto Alegre -APPOA. Além da prática clínica participa ativamente das interlocuções entre psicanálise e cultura. Atualmente co-coordena os seminários: "O escuro de nosso tempo" e "O divã e a tela". Entre suas publicações: "Sargento Pimenta Forever",ed. Libretos e "Cinema- o divã e a tela", ed. Artes&Oficios.

::.

 

Dia 22 de maio de 2020. (Covidados desta edição: Paulo André, produtor musical; e Rosivaldo Cordeiro, guitarrista e professor de música)

TEMA: "OS IMPACTOS DA PANDEMIA E A NOVA ORDEM MUSICAL"
Os impactos da pandemia no segmento cultural, em particular da música. A situação atual e a reação de artistas, produtores. A expectativa para o "novo normal”.

"...um passo pra frente e você não está mais no mesmo lugar…” (Chico Science) 

Frase trazida, neste PALKO, juntando ao vivo, o produtor cultural Paulo André - de Recife; o guitarrista Rosivaldo Cordeiro - de Paris; e os jornalistas Marcelo Fernandes - de Floripa; e Fernando Rosa - de Brasília. Assista todo >

OUÇA:

Saiba mais dos convidados: 

- Paulo André: é organizador do festival Abril Pro Rock, um dos mais antigos do Brasil. O festival revelou artistas como Chico Science e Nação Zumbi e Los Hermanos, entre outros. Foi o primeiro empresário da CSNZ, em turnês pelos Estados Unidos e Europa. É uma das referência nacional e internacional na produção da nova música brasileira, a partir dos Anos 90. Foi o último presidente da FBA - associação que reúne os festivais independentes nacionais.

- Rosivaldo Cordeiro: é guitarrista, compositor e professor de música natural de Manaus, com uma trajetória ligada à lambada e ao chorinho. Já integrou o grupo Carrapicho e, atualmente, vive entre Manaus e Paris, onde é professor de música brasileira e desenvolve carreira. Em 2019, lançou o disco Guitarreiros do Amazonas, um tributo aos três grandes mestres da lambada do Amazonas. No momento, se encontra em Paris, em quarenta.

::.

 

Os apresentadores do PALKO

MARCELO FERNANDES

Nos anos 80, foi diretor de criação da Xirú, editora e prestadora de serviços jornalísticos/RS.

Tem atividade no jornalismo impresso, em redação, diagramação, editoração eletrônica, desde 1980. Participou da implantação do Diário Catarinense, em 1986.

Foi redator, repórter e editor de Política e Economia do jornal Hora do Povo, RS e SP. Em rádio, trabalhou nas rádios Gaúcha/RS, Sucesso/RS, Band/RS, Guarujá/SC, Antena1/SC, A Verdade/SC, Eldorado/Jovem Pan/SC, CBN/SC e Guararema/SC.

Em televisão, teve atividade na RBSTV/SC, SportTV/SC e SBT/SC.

É assessor de comunicação, palestrante e consultor.

É autor do livro de poesias "Pátria Poeta!", edição/Xirú/1984.

Além do jornalismo, trabalha com artes plásticas e webdesign. Criador (2013) e editor da Rádio Web Brasil - RWB (rwbrasil.net).

 

FERNANDO ROSA

É jornalista, pesquisador musical e produtor cultural.

É editor dos portais Senhor F, especializado em música independente e ibero-americana, e Senhor F, em geopolítica.

É curador e organizador do Festival El Mapa de Todos, de integração musical ibero-americana.

É autor do livro "Ondas Tropicais - A invenção da lambada e do beiradão na Amazônia moderna", sobre a gênese dos dois gêneros ao Norte do Brasil.

É também autor do livro "A Ousadia dos Canalhas - A Lava Jato que o Brasil não viu". Integra a Red de Periodistas Musicales de Iberoamerica (REDPEM).